Observatório Pan-Americano em Guajira, Carla Urbina. Março, 2011

  • O Observatório Pan-Americano, desde o mês de Março, se uniu ao grupo de trabalho para o Plano estratégico de uso adequado ao território da região de Guajira.
  • O grupo de trabalho esta formado por representantes das comunidades (Tamare, Paraguaipoa, Sinamaica, Cojoro) e instituições como Fe y Alegría e Fundación Wayuu Taya, que vivem nesta zona (norte do Estado Zulia-Venezuela).  
  • Como parte da comissão de ambiente, procura estabelecer considerações sobre o uso do território, diminuição de riscos, e proteção das três funções da paisagem: proteção, produção e recreio. Estas atuações tentam seguir em direção a um desenvolvimento sustentável nesta região afetada nuns 80% do seu território, pelas inundações do passado mês de Dezembro de 2010.

A Guajira debaixo das águas. Uma vista panorâmica da situação.

A ruptura da barragem de água de Manuelote provocou a cheia e a perda de 5 milhões de m3 de água potável.

Cheia dos rios: Paraguachón e Limón.

Aldeias inundadas, com prejuízos materiais, vivendas, animais, cultivos. O isolamento da zona norte, devido ao corte da comunicação vial provocada pelas cheias, o que provocou a falta de alimentos e atenção médica.

Atualmente, os afetados já voltaram a ocupar as suas casas, apesar de que ainda não foram tomadas medidas de prevenção e diminuição de riscos, alertas e, ou, planos de evacuação.

Os estragos na infra-estrutura da barragem de Manuelote, ainda não foram arranjados e a barragem de Tulé apresenta também graves estragos na estrutura, o que provoca um alto risco de nova inundação na zona e a possível perda da fonte de água potável para o estado Zulia.